Por uma cartografia netnográfica em tempos pandêmicos

entre a psicopolítica e a biopolítica do negacionismo

Autores

  • Éderson Luís Silveira Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.46550/amormundi.v2i3.89

Resumo

Em tempos pandêmicos, torna-se cada vez mais necessário pensar acerca do desenvolvimento de pesquisas em meio à situação de emergência do distanciamento social promovida pela proliferação desenfreada do coronavírus. Nesse contexto, situando esta pesquisa no contexto dos estudos educacionais e culturais, busca-se pensar ensaísticamente acerca da existência de uma pedagogização acerca dos modos de reproduzir  o negacionismo em meio à pandemia. Isso porque essa reprodução da negação coletiva sobre o coronavírus também produz formas de subjetivação e, também, incita ao desenvolvimento de condutas e contracondutas. Para isso, o método sugerido é o que está sendo intitulado neste artigo de cartografia netnográfica.

Biografia do Autor

Éderson Luís Silveira, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil

Doutor em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Mestre em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Vice-Líder do Grupo de Pesquisa Michel Foucault e os Estudos Discursivos (UFAM/CNPq). Especialista em Estudos Linguísticos e Literários pela Faculdade ´´Única. E-mail: ediliteratus@gmail.com 

Publicado

2021-03-31

Edição

Seção

Artigos